2011

Tchim Tchim...UM BOM ANO DE NOVO, continuamos em 2011!
by me. and all of us , C e lança

Gelado de chocolates

Quantas vezes ficam esquecidos bocados de chocolates da minha criançada...São os ovos da páscoa, Pais-Natal ou outros que não gostaram ou foram apenas demais.

Desta vez, tinha nada mais nada menos que 500gr de Toblerone com prazo terminado no mês passado. Como esteve sempre no escuro e a temperatura amena não lhe aconteceu nenhuma desgraça além de parecer saber ao armário, coisa que acontece muitas vezes.

Mãos à obra, uma transformação...e fazer o quê?
Um gelado de chocolate muito cremoso, foi o que me apeteceu e saiu coisa boa garanto.

Para este gelado:
. 200gr de chocolate Toblerone . 3 ovos . uma tira 5 quadradinhos de chocolate amargo Lindt a 70% . 1/2 dl de nata batida . 1 iogurte natural . 1 colher de sopa de manteiga. alguma gotas de adoçante . 1 folha de gelatina amolecida

Derreti os chocolates com a manteiga em banho-maria e a meio do processo acrescentei o iogurte natural, deixei envolver criando uma pasta de chocolate densa.

À parte bati as gemas com algumas gotas de adoçante, pode ser açúcar mas como este chocolate é demasiado doce optei por apenas adoçar as gemas.
Depois de batidas acrescentar as gemas à calda de chocolate quente batendo com a batedeira.

Juntar a folha de gelatina já demolhada ao chocolate e envolver bem.

Bater as claras em castelo firme e juntar ao preparado anterior depois de arrefecido.

Por último adicionar as natas préviamente batidas.

Levar ao congelador o tempo suficiente para ficar frio. Não precisa de ser mexido enquanto gela já que não ganha os cristais que muitas vezes acontecem nos gelados caseiros.

Et voilá...Un chocolat frais et doux pour le nouvelle anné!

by me. 22616

Natal

Aqui fica uma forminha especial para desejar a todos os que aqui passam um Feliz e Santo Natal
by me. 21240

Gelado de laranja

Eu sei que está frio... e que está aí o Natal...

Mas gelado que é gelado vale para o ano inteiro, e que bem ele fica com uma fatia de bolo de chocolate ou tronco de chocolate ou...nada!

Lembrei-me dele porque serve para desenjoar nesta época, sabe-me bem cortar a doçaria frita e não só com um gelado ácido de laranja, mas claro esse é o meu gosto.

E para este gelado simples são precisos:
. 3 gemas de ovos . 75 gr de açúcar . 2 dl de sumo de laranja . 300gr de nata batida . 1 colher de café de açúcar baunilhado . 1 pitada de sal

Batem-se as gemas com o açúcar e o sal até obter uma massa bem cremosa e esbranquiçada.

Junta-se o sumo da laranja aos poucos.

Por último incorporar a nata já batida e o açúcar baunilhado.

Colocar num recipiente e levar ao frio até que adquira textura de gelado, cerca de 4 horas.

Fácil e rápido, depois é só servir com aquilo que a vossa imaginação ou gosto ditarem.

Voilá, bon appétit

by me. 20355

Creme de iogurte de bolo de bolacha

Podia chamar-lhe reciclagem de iogurtes.
Quando ficam perto do fim da validade é preciso tratá-los para serem comidos de outra forma senão a minha posição de mãe geralmente é comê-los.

Mas o que fiz mais uma vez foi criar uma sobremesa cremosa. Para isso basta acentuar o aroma que o iogurte trás e a quantidade de doçura.

Para este creme de iogurte:
. 4 iogurtes bolo de bolacha . 8 bolachas-maria . 2 folhas de gelatina . 1/4 de lata de leite condensado . 1 dl de nata batida . 1 colher de café de café solúvel . 2 + 3 colheres de sopa açúcar . 2 ovos

Começa-se por demolhar as folhas de gelatina num pouco de água.

Entretanto separam-se as gemas das claras. Numa taça de pyrex batem-se as gemas como 2 colheres de açúcar e 1/8 ou seja metade da quantidade do leite condensado. Leva-se esta gemada ao micro ondas cerca de 20/30 segundos mexe-se e coloca-se mais 20 segundos de modo a aquecer ligeiramente e ficar o açúcar bem derretido.
Nesta mistura das gemas envolvem-se as folhas de gelatina já demolhadas e escorridas e logo a seguir as claras que entretanto foram batidas em castelo firme, reserva-se.

Num copo de batidos ou de varinha mágica batem-se os iogurtes com as bolachas, o restante leite condensado, as 3 colheres de açúcar e o café solúvel obtendo um creme espesso e homogéneo.
De seguida verte-se o preparado anterior no creme das gemas que entretanto já arrefeceu e envolve-se tudo muito bem, batendo com máquina de varas.
Por último acrescentam-se as natas batidas.

Deitam-se em taças e leva-se ao frio uma 3 horas ou mais.

Eu polvilhei com chocolate amargo raspado, mas pode bem ser café, fios de caramelo, bolacha ralada, todos eles acentuam o sabor que estes iogurtes tem.

E assim se reciclou, está na moda e eu faço-o muito com a comida.

Nada se perde tudo se transforma neste caso para mais uma gulodice da pequenada ...e não só!!!

by me. 19323

Cosmopolitan de romã

Fruto e sabor do outono...

Aqui servido na mais famosa bebida cosmopolita, Pomegranate Cosmopolitan, como diria um nova iorquino perto de si...

Para este Kick de sabor no frio são precisos:
. 4.0 cl Vodka limão . 1.5 cl Cointreau ou Triple sec . 1.5 cl sumo de limão fresco . 3.0 cl de sumo de romã . cubos de gelo q.b.

Colocam-se todos os ingredientes num Shaker, agitam-se misturando-os bem.

Serve-se num copo de martini com rodela de limão ou lima.

Se o sumo de romã não existir embalado, obtem-se este néctar directamente das belas frescas e sumarentas romãs que ainda existem por cá.

Para isso e para os 3cl de sumo, cortam-se 4 romãs ao meio ou em quartos depende do tamanho e mergulha-se em água numa tigela, separam-se as sementes das membranas brancas que flutuam na água.
Escorrem-se as sementes e colocam-se num liquidificador, tritura-se.
De seguida coa-se por uma peneira fina e reserva-se o sumo.

Para quem goste do sumo mais doce e mais ou menos concentrado pode ser acrescentar algum açúcar e um pouco de água ficando ao gosto de cada um.

Uma bebida para entrar neste fim de semana, Tchim tchim!

by me. 18494

Bolo e creme de iogurte com romã

Provei e comprovei este bolo Iogurte ás Fatias da Leonor de Sousa Bastos.

Fiz apenas 1/2 receita, mas penso que não seria necessário o uso de toda a farinha maizena para o creme, isto porque utilizei mesmo os iogurtes gregos que são densos e encorpados.
As gemas do creme também me pareceram demais, mas como também utilizei ovos XL, numa próxima testo doutra forma, porque cada mão é uma mão!

Na confecção da massa usei iogurtes de baunilha e acrescentei ainda um pouco de essência da mesma, uma mistura de Baunilha e romã com a acidez e a frescura do iogurte

Torna-se um bolo sofisticado de sabor e diferente.

Vale a pena experimentar, lá por casa voou da travessa é sempre um bom sinal. ;)
(RECEITA ORIGINAL AQUI*)

by me. 17723

Bolo de pêra com gelado de baunilha

Uma pêra doce no fim de semana!

Para ser diferente e há muito tempo que andava para trocar as maças por pêras em bolo foi desta.
Aqui com uma bola de gelado de baunilha já que foi servido ainda quente... Aconselho.

Utilizei dois tipos de pêra nesta receita, pura opção minha, uma williams um pouco verde e uma pêra General ou parda.

Para este bolo/tarte usei:
. 3 ovos inteiros . 1/2 chávena de manteiga derretida . 1/3 chávena de farinha . 1/3 chávena de açúcar . 2 pêras grandes cerca de 600gr . 1/2 chávena de leite . 1/4 de colher de sopa de sal . 1 colher de café de fermento em pó . essência de baunilha 2 colheres de chá . um pouco de açúcar amarelo

Lavam-se, descascam-se e descaroçam-se as pêras, cortando-as em lâminas finas, para que estas não fiquem logo oxidadas, passar por um pouco de água com alguma gotas de limão.

Num liquidificador deitam-se todos os ingredientes secos seguido da manteiga derretida ou amolecida e pulsa-se, acrescentando o leite pelo abertura enquanto bate o preparado formando uma massa homogénea.

Barra-se uma forma de tarte (grês ou pyrex) com manteiga e colocam-se as lâminas de pêra depois de bem escorridas no fundo dispondo-as com algum cuidado de modo a criar uma boa cama, salpica-se com um pouco de açúcar amarelo.
Verte-se a massa já preparada por cima da base de pêra e leva-se assar em forno já aquecido a 180º durante cerca de 40 minutos ou até a massa estar dourada.

Depois de assado, não é necessário desenformar, mas optei por virar as fatias ao colocar no prato para ter as pêras em primeiro plano.

Serve-se ainda quente com bola de gelado a gosto ou chantilly ou como dizem os inlgeses um creme custard (o nosso leite creme)

Mais bolos para dias frios e não só!
by me. 17456

Tarte de Tequilha

Uma tarte adulta, álcool incluído.

Ainda um salpico de verão com aroma de Tequilha, mas para nos aquecer as tardes de fim de semana em forma de doce.

Para esta tarte são precisos:

. 1 pacote de bolacha digestiva ou waffers . 1/2 chávena de frutos secos (amêndoas ou nozes ou pinhões) . 3/4 de chávena de manteiga sem sal derretida . Tequilha 1/3 chávena . 1/2 chávena de sumo de limão ou lima . 5 gemas de ovos grandes + 2 claras de ovo . 1 lata de leite condensado . 1 colher de sopa de açúcar . mel q.b. (para regar)

Aquece-se o forno a 180 graus.

Começa-se por preparar a base da tarte colocando na liquidificadora as bolachas com os frutos secos escolhidos e trituram-se.
Acrescenta-se a manteiga já derrretida e bate-se novamente até ficarem bem misturados.
Reserva-se um 1/4 chávena da mistura de bolacha e coloca-se o restante num pequeno tabuleiro rectangular.
Leva-se ao forno já aquecido até dourar, cerca de 15-18. Retira-se do forno e deixa-se arrefecer

Para fazer o recheio, numa taça média misturam-se muito bem a tequilha, o sumo de limão ou lima, as gemas e o leite condensado.
Noutra tigela batem-se as 2 claras em castelo firme com o açúcar.
Envolvem-se delicadamente as claras em neve à mistura da tequilha e espalha-se o recheio uniformemente sobre a base já preparada levando de seguida ao forno 25 minutos.

Depois de arrefecer polvilha-se a tarte com as migalhas reservadas e leva-se ao frio pelo menos 2 horas antes de partir.

Ao servir pode ser regado com fios de mel, opcional.

Tchim tchim com esta tarte...pode ser? :)
by me. 16898

Pudim Flan

Hoje fiz o tradicional, a lembrar sobremesas antigas.

Para mim é um clássico. Por vezes é difícil acertar com a receita, ou é a temperatura, ou é o tamanho dos ovos e muda logo o aspecto, mas quer fique partido ou inteiro ele desaparece na mesma por estas minhas bandas.
Para não ter que lidar com o stress do desenformar complicado de um pudim grande, levo-o a cozer em taças individuais de grés, pura opção minha.

Para um Flan de forma ou em doses individuais:

. 6 ovos inteiros . 1 gema . 1/2 l de leite . 7 colheres de açúcar . 150gr de açúcar para caramelo

Começo por fazer o caramelo que vai forrar a/as forma/s, para isso basta colocar o açúcar ao lume até ganhar consistência e cor de caramelo e verter na forma onde o pudim vai cozer.

Há quem tenha dificuldade em fazer caramelo ou esteja com pouca vontade de lavar tachos...pode ser usado o caramelo de venda, mas o fundo do pudim não fica o mesmo porque este é um caramelo líquido e por isso o efeito de camada fica um pouco mais dispersa o que poderá alterar a firmeza do fundo do pudim.

Aquece-se o leite. Batem-se os ovos inteiros e as duas gemas com as 7 colheres de açúcar, de seguida deita-se aos poucos o leite aquecido de modo a envolver bem.

Verte-se o preparado anterior na forma já barrada com caramelo e leva ao forno a cozer em banho-maria cerca de 45 minutos em lume médio.

Retira-se do forno ainda mole e só depois de bem frio se desenforma o Pudim.
O último passo do arrefecimento é mesmo a passagem pelo frigorífico.

Uma sobremesa com aroma da infância... Bon appétit!

by me. 16106

Puré de Batata-Doce, maçã e flôr-de-anis

Um sabor de Outono!

Se esta estação é por vezes sombria, melancólica e fria, a comida é bem quente colorida e reconfortante, quis a sábia mãe natureza que assim fosse .

Fiz um Rosbife e decidi acompanha-lo com puré de batata-doce e espinafres salteados, coisa pouca para um vulgo jantar de quinta feira :)

Sempre gostei deste contraste doce salgado na conjugação de pratos e este não é mais que um reflexo desse meu gosto.

Assim com:
. 2 batatas doce com cerca de 500gr . 1 maçã reineta . manteiga 3 colheres de sopa . leite 1,5 a 2 dl . flor de anis estrela (colocada na água cozedura por 2 a 3 min. e depois retirada)

Lavei e descasquei as batatas, tornando a passá-las por água e cortando em quadradinho pequenos, levei a cozer cobertas com água juntamente com a estrela de anis (a retirar por deixar um aroma muito intenso, se não tiverem podem colocar também um pouco de erva doce ou até noz moscada moída no fim).

Mais perto do fim da cozedura das batatas introduzi a maçã reineta descascada e cortada em quatro, como se desfaz não interessa colocá-la logo no início para que não desapareça.

Depois de tudo bem cozido escorrer sem grande preocupação e deitar num liquidificador. Triturar juntamente com os pedaços de manteiga e o leite deitado aos poucos até obter consistência desejada.

Eu não coloquei sal pois a manteiga tem o suficiente, mas podem ser acrescentados os temperos ao gosto de cada um.

Et voilá...L'Automne sur un plat!

by me. 15478

mousse de chocolate negro

Pois teve de ser...lá a fiz mais uma vez.

Não sei quantas receitas haverá deste "pecado imortal" mas deixo aqui esta minha versão, mais não seja para daqui a uns anos me lembrar como a fazia.

Eu gosto da mousse espessa e negra, pouco açucarada, por isso utilizo o chocolate de culinária a 70% de Cacau da Lindt, já existem no mercado percentagens de cacau mais altas mas este serve perfeitamente, até porque não acrescentei pimenta de Caiena ou Piripiri/malagueta à receita um truque que vem dos Astecas e que também se derrete na boca e aquece a alma.

Para esta mousse negra:
. 200gr de chocolate Lindt 70% (ou outro como preferirem) . 75 gr de manteiga meio sal . 1 dl de leite . 1,5 dl de nata batida . 4 colheres de sopa de açúcar . 4 ovos Xl ou 5 médios . 1 colher de café de raspa de limão.

Numa taça de Pyrex coloco o chocolate partido em pedaços juntamente com a manteiga e o leite e a raspa de limão e leva-se tudo a derreter em banho-maria, envolvendo bem todos os ingredientes.

Entretanto separa as gemas das claras, bato as claras em castelo bem firme onde acrescento a meio do processo duas das colheres de açúcar, reserva-se

Batem-se as natas até ficarem espessas e reserva-se.

Batem-se as gemas com o restante açúcar e incorporo na manteiga de chocolate que está em banho-maria continuo a cozinhar criando uma pasta bem espessa, retira-se do lume a taça e deixa-se arrefecer.

Por último e depois de arrefecer adiciona-se a nata batia e por último envolvem-se as claras em castelo.
(acrescentei por cima um crocante granulado, feito com chocolate em pó, manteiga e açúcar, daí a textura)

Leva-se ao frio e serve-se, simples ou acompanhada!

by me. 15125

Curva - Reserva 2008

Mais um Douro branco a memorizar.

Uma óptima companhia para um peixe fresquíssimo(ou outro prato), como o que tive este fim de semana, um presente perfeito do nosso mar, que assim se acompanhou com um néctar perfeito de terras do Douro.

Um vinho fresco mas com corpo e boca persistente, como diz o rótulo:
"...notas ligeiras de tosta harmoniosamente combinadas com sugestões de fruta como o alperce e o limão. Apresenta um final de boca, longo, complexo e muito fresco."

Fica a sugestão. Boa prova!

by me. 14342

Gelatina - Pó ou folha?

Muitas vezes pensei que receitas com gelatina são um bicho de sete cabeças.

Penso não ter sido a única, mas lá ultrapassei este receio que nunca nada iria ficar bem e por isso mesmo lembrei-me de escrever.
Muitas vezes as próprias receitas ou embalagens omitem esta informação, mas como nem todos nós somos profissionais de cozinha, aqui deixo a forma "mais correcta" de usar cada uma delas.

Gelatina em ;

Na água fria ou noutro líquido, polvilha-se bem o granulado da gelatina espalhando-o, por norma usa-se cerca de 1/4 chávena de líquido para cada pacotinho, ou o indicado por cada receita.
Nunca deve ser despejado em pilha, porque dificilmente os grânulos se dissolvem.
Deixa-se descansar por 5 a 10 minutos.
Junta-se ao líquido quente ou leva-se aquecer lentamente, mexendo até dissolver bem.

Gelatina em Folha;

Mergulha-se a folha de gelatina em água fria cerca de 5 a 10 minutos, uma chávena de água é o suficiente para encharcar bem a folha.

Uma vez amaciada, retira-se da água e espremem-se as folhas uma a uma suavemente nas mãos, para remover o excesso de água e adiciona-se na quantidade indicada de cada receita, ao preparado, mexendo até dissolver bem.

Se a adição for feita a uma mistura fria, derretem-se as folhas amolecidas num recipiente ao lume numa panela ou em taça no microondas, em lume muito baixo, apenas mexendo até derreter completamente, sem nunca deixar ferver.

De seguida acrescenta-se aos poucos na mistura fria a solidificar.


Dificuldade? Pouca, é só tratar a gelatina por tu, mesmo. ;)

by me. 14.150

pataniscas de bacalhau



'não há como as da nossa mãe'

Creme de gengibre e espargos verdes

Voltamos à sopa, "a good fast food" a sério e em casa.

Esta a versão adaptada do creme base verde sem batata, que aqui já deixei!

Uns retoques e este creme verde muda. Pequenos acertos que personalizam a culinária assim como cada mão terá o seu tempero, mesmo que a receita seja fiel.

Para este creme verde +- 4 sopas;
. 1/2 embalagem de espargos verdes frescos . alho francês só parte branca . 1 nabo muito pequeno . 1 dente de alho pequeno . 2 courgettes médias sem casca . gengibre fresco 1 colher de sopa . azeite . creme de aveia (ou creme fraîche) . sal . Pitada de caril e louro em pó . (facultativo) queijo ralado tipo flamengo ou outro

Lavam-se e partem-se os vegetais. Os espargos descascam-se e reservam-se as pontas .
Partindo da mesma base, aquece-se um pouco de azeite num tacho, deita-se o alho francês , a courgette, os tronquinhos dos espargos, o nabo, o gengibre, o dente de alho, tudo previamente cortado em pedacinhos, deixa-se amolecer lentamente de modo a ficarem meio transparentes.

De seguida acrescentar água de modo a ficar tudo submerso e deixa-se cozer até ter consistência para triturar tudo num puré com a varinha mágica.

Depois de triturada, pode ser preciso acrescentar um pouco de água, no entanto este deve ser um creme com algum corpo, mas as variante também são possíveis, como é lógico.
Colocam-se as pontas de espargos que ficaram reservadas e deixam-se cozer em lume brando cerca de 5 minutos sensivelmente.

Por fim rectifica-se o sal e polvilha-se com uma 1/2 colher de café de caril em pó e uma pitada de louro em pó, esta foi opção desta sopa.

Na hora de servir coloquei alguns fios de creme de aveia, já falei dele um substituto das natas na culinária, e serve-se bem quente podendo acrescentar ainda um pouco de queijo ralado que se integra na perfeição neste aroma e paladar.

Et voilá la soup à la table!

by me. 12643

Amêndoa Baunilha e Framboesas

Instantâneos, aqui um ABF em vez de um ABC, mais um daqueles que apenas misturo.
Uma sobremesa que até fica requintada e onde estes simples sabores casam na perfeição.

Um doce criado, com:

. Gelado de Baunilha (Carte d'or da Olá) . Framboesas frescas . Tarteletes de amêndoa de pastelaria

Basta um prato, uma faca e uma colher et voilá, como na foto.

Não há cozinha nas férias mas existem sobremesas por casa ;)

by me. 11477

Amêijoas...

Já vos disse que é um dos meus petiscos preferidos, ai estes moluscos!

Estas foram-me servidas, aqui por terras dos Algarves, eu também as faria até porque a dificuldade é quase nula...mas tenho a cozinha um pouco arrumada nestas férias e assim fui prová-las ao Evaristo, irrepreensíveis como sempre, a repetir nos próximos dias ;)

Como as faria eu:

. ameijoas . azeite . alho . salsa . coentros . sumo de limão.

As quantidades estão no famoso "olhómetro" ou "mão", difícil de transmitir.

Aquece-se o azeite, com o alho esmagado deitam-se as amêijoas deixam-se abrir colocando a tampa.
Temperam-se com a salsa e os coentros e sumo de limão, outra fast food.

Por vezes acrescento manteiga ao molho, pura gulodice minha!

by me. 11064

Frango Tandoori Light

Um sabor quente como o verão!

Esta uma versão de um prato indiano que aromatiza o ambiente e conforta o estômago e não precisa de brasas para ser feito, poderá lá ser feito, vossa opção ou oportunidade.

É que apesar dos churrascos saberem bem, são instrumentos torturantes no verão para os cozinheiros. Uffa, fazem muito calor...

Para esta versão simples de frango:
. 4 peitos de frango . sal e pimenta q.b. . salsa . rodelas de limão

Marinada Tandoori

. iogurte natural magro . raiz de gengibre fresca ralada na hora 2 colheres de sopa rasas . 1 dente de alho esmagado . pimentão doce 1 a 2 colheres de chá . piripiri em pó a gosto . 1 tomate maduro pequeno triturado sem pele nem grainhas ou concentrado em pacote 1 colher de sopa (versão rápida)

Faz-se a marinada misturando todos os ingredientes e acrescentado o sal e pimenta q.b..

Picam-se os peitos de frango com o garfo e e colocam-se na marinada envolvendo-os bem.

Tapa-se o recipiente com película e coloca-se no frigorífico de um dia ou umas boas horas, de manhã para o jantar por exemplo.

Liga-se o forno em lume alto, e grelham-se os peitos de frango sobre a grelha, para isto convém colocar um tabuleiro de forno por baixo com água, é que depois não há mordomo que o limpe!!!

Estava eu a dizer, que colocam-se os peitos de frango na grelha do forno e assam-se bem, o que é relativamente rápido cerca de 10 minutos ou um pouco menos de cada lado, também não interessa secar em demasiado a carne.

Poderão ser feitos a versão que use apenas em tabuleiro, um pouco mais devagar e em forno médio alto, 220º cerca de 40 minutos, aqui não é preciso vigilância basta ligar o temporizador e o prato assa, o que se torna mais simpático, sempre nos afasta da cozinha.

Colocar em pratos servir, com arroz basmati ou outro, rodelas de limão e salsa e uma salada simples a gosto.

Um prato não muito calórico e que já me está a fazer fome... A esta hora é normal, vou almoçar! Bom apetite :)
by me. 9933

arroz de tamboril



















não sei se foi da comparação gastronómica que fiz no Facebook, ou do comentário que fiz ao post de uma das minha co-autoras deste blog, após MUITOS meses, decidi publicar qualquer coisita. o meu jantar de hoje. :)

ainda ontem comentava, numa conversa de café, que às vezes o corpo tem desejos alimentares específicos. hoje apetecia-me açafrão. vá-se lá saber porquê… :)

para mim, açafrão “casa” com lavagante ou tamboril. como tinha feito “ontem” cataplana de tamboril, com os belos dos lombos, para convivas, tinha sobrado a cabeça, que utilizei para esta refeição e que é a parte do tamboril que mais gosto, além do fígado, claro!

assim não “tive” de ir comprar lavagante… :D

num tacho fiz o sufrito da cebola em manteiga (15min) . cozi a cabeça com um pouco de sal (15min), uma folha de louro, as cabeças e as casca de camarão que previamente descasquei.

numa caçarola, salteei os camarões em azeite e alho e adicionei ao tacho com o sufrito, a água da cozedura da cabeça e o arroz. mais três colheres de café com açafrão. pronto, ponham só duas, eu sou “guloso”… :P

enquanto cozia, retirei a carne de toda a cabeça (6/7min) e introduzi a carne no tacho.

enquanto esperava que o arroz acabasse de cozer, piquei uma porção de salsa que utilizei no final.

acompanhei com um jovem branco aqui da “zona”, com espuminha e tudo! :)

by lança

Pasta de salmão fumado

Simples ou em pasta sabe a verão.

O salmão fumado é uma das minhas opções para várias 'pastinhas' que servem para criar canapés, em triângulos de pão branco, em pequenas tostas melba ou para quem quiser rechear pequenos quadradinhos de massa folhada ou até de choux, enfim o que o vosso gosto vos ditar.

Para esta pasta:
. 125gr de salmão fumado . 50 gr de manteiga sem sal à temperatura ambiente . 1/2 colher de sopa de mostarda . 1/4 dl de vodka . 1/4 de sumo de limão . 1/2 colher de café de pimenta moída na hora

Pica-se o salmão na máquina com se fosse carne picada, não precisa de ser demais, o suficiente para envolver bem.

Misturam-se os restante ingredientes no salmão de modo a criara uma pasta homogénea.

Leva-se ao frio para ganhar consistência.

Serve-se como já disse, em canapés, ou simplesmente numa taça para cada um colocar como e com o que desejar.

Para mim uma tosta melba, pasta e folha de alface e um copo de vinho branco fresco, casam na perfeição com dois dedos de conversa entre amigos numa quente noite de verão.

by me. 8642

Gelado cremoso de caramelo e whiskey com bolacha de amêndoa

Parece uma coisa composta...feita de renome pelo menos!

Outra experiência, até porque cá por casa nada se perde tudo se transforma e agora com o verão são mesmo gelados, eu já disse que não resisto e a minha pequenada delicia-se!

Isto tudo porque tinha um resto de caramelo liquido de compra, leite condensado cozido, bolachas recheadas com toffe uma especialidade vinda da Holanda e umas de bolachas de amêndoa.

Como em equipa que ganha não se mexe, peguei no mesmo principio do creme Sabayon do Gelado cremoso de morango e lá foi a imaginação e a mão.

Para fazer este Creamy caramel cookies dots:
+- 5dl de gelado:

. 2 ovos grandes . 8 colheres de açúcar branco . 1/4 de lata de leite condensado cozido . 3 colheres de sopa de caramelo liquido . 2 colheres de sopa de whiskey . 1 dl de créme fraîche/nata . 1 dl de leite magro

Numa taça pirex, batem-se os ovos inteiros até obter um creme bem espumoso, acrescenta-se o açúcar aos poucos e continua-se a bater, até obter um creme mais consistente e coze-se em banho-maria.

Depois desta primeira base cozida, juntar o leite aos poucos, batendo com a batedeira mais lenta para que não salpique deixar aquecer novamente.

Acrescentar o leite condensado, e misturar bem deixando aquecer novamente.

Juntar as natas e envolve-las bem

Por último juntei as colheres de whiskey, poderia ser ou outro alcóol à vossa escolha. Envolver bem mexendo com frequência, o que implica estar mesmo por perto, já que demora um pouco até que fique uma pasta bem espessa, pois esta operação é feita sempre em banho-maria.

Retirei do lume deixei arrefecer juntei as bolachas tipo waffers recheadas partidas em pedacinhos bem pequenos e o por fim de modo a ficar mal envolvido, para dar efeito de riscas ao gelado o caramelo liquido.

Levar ao frio até ficar gelado.

Eu servi com umas bolachas de amêndoa e manteiga mas parece-me a mim que as viciantes e crocantes Bolachas de Laranja que existem neste blogue deixadas pela C serão com toda a certeza uma excelente companhia!

Enjoy, like us at home!

by me. 7985

Creme de alho francês e courgette

Back on green...back on track!...

De volta ás minhas sopas hipocalóricas, um Creme bem fresco e verdinho, sem batata.

Tem de ser, já é verão, sempre dá uma ajuda para manter ou diminuir a linha.

Ingredientes para um tacho pequeno de sopa, cerca de 6dl :

. 1/2 alho francês parte branca . 1 courgette média com casca . 1 dente de alho pequeno . sal . pimenta . azeite q.b

Aquecer um pouco de azeite num tacho, deitar o alho francês picado e a courgete cortada em pedaçinhos deixar amolecer lentamente, o que leva pouco tempo o suficiente para ficarem meio transparentes, acrescentar água a tapar e o dente de alho e o sal.
Deixar cozer bem.

Depois de cozida, triturar muito bem com a varinha mágica ou num copo liquidificador, na última volta acrescentei alguma folhas de coentros, para salpicar o creme de cor e textura verde e dar-lhe a frescura no sabor.
Acrescentei ainda umas tirinhas longitudinais da casca da courgette cortada muito fininha, como pequenos palitos, que tinha reservado, para dar ter que trincar gosto sempre de acrescentar aos cremes que faço.
Deixar levantar fervura para que cozam um pouco, e já está!

Basta servir, com um pouco de pimenta moída e folhinha de coentro e acrescentar azeite a gosto, se acharem necessário.

Para outra hipótese de apresentação, fazer uma espiral branca com nata ou creme de aveia (mais dietético-substitui nata).

Easy... A true fast good food...for easyslim!

by me. 7609

Gelado cremoso de morango

Para comemorar o fim da primavera, o adeus aos morangos, uma experiência que me saiu bem.

Lá criei este gelado de morango bem cremoso, como eu gosto e delicioso!

A base que me surgiu por ideia foi o creme Sabayon, para quem não sabe exactamente o que é, trata-se de uma espécie de gemada rica, com de sumo de fruta e um toque de alcóol cozinhada em banho-maria.
Um leite creme complicado ou delicado... o qual adaptei apenas como conceito.

Para fazer este Pink dot de morango;
cerca de 6dl de gelado:

. 2 ovos grandes . 8 colheres de açúcar branco . cerca de 2,5 dl de polpa batida de morango com 2 colheres de açúcar amarelo . 2 colheres de sopa de aguardente . 1 dl de leite . 1 dl de créme fraîche/nata . 4 morangos partidos em pedaçinhos pequenos

Numa taça pirex que se possa levar ao lume a banho-maria, bati os ovos inteiros até obter um creme espumoso, acrescentei o açúcar aos poucos e continuei a bater bem até obter um creme consistente.

Juntei-se o leite aos poucos, batendo com a batedeira mais lenta para que não salpique.
De seguida as natas e por último juntei as colheres de aguardente velha, poderia ser ou outro alcóol à escolha um licor... whatever, envolvi bem e lá foi a cozer em banho-maria, mexendo com frequência, o que implica estar mesmo por perto, já que demora um pouco até que fique uma pasta bem espessa.

Retira-se do lume e deixa-se arrefecer durante um pouco.
Verte-se a polpa dos morangos que já tinham sido triturados com açúcar amarelo e envolve-se tudo.
Por último juntei os pedaçinhos de morango cortados.
Leva-se ao congelador até obter consistência e temperatura de gelado...é só esperar.

Servir, simplesmente só, com morangos frescos, com folha de menta, com doce de morango, nata batida, bolacha...enfim, com tudo aquilo por onde a imaginação gustativa vos levar.

Ai os morangos, os morangos o que eu gosto deles... ;)

by me. 7462

Mojitos

Já passaram as 'margaridas' agora vamos aos primos mojitos!

Mais um summer drink.

Ingredientes para 1 pessoa:

. 6 cl de rum cubano (havana club, bacardi, etc.) . 1/2 lima em sumo e outra 1/2 em pedaços . 1 colher de café de açúcar mascavado ou amarelo . 4 folhas de menta (hortelã-menta) . água gaseificada (Perrier, por exemplo) também pode ser usada gasosa . gelo moído q.b.

Juntam-se as folhas de menta cortadas com o açúcar, dentro do copo de servir. Esmagam-se com o pilão e acrescenta-se sumo da 1/2 Lima.

Enche-se o copo até meio com gelo moído e acrescenta-se o Rum.
Adicionar a lima cortada, facultativo, mas fica sempre bem.
Mistura-se bem e enche-se o resto do copo com água gaseificada.

E o Mojito está feito!

Em jeito de Hemingway Verdade é que ele tinha outras duas versões deste cocktail, a que chamaram Papa Hemingway e Hemingway Special...personalidades fortes bebidas a condizer.

Tchim, tchim, mais um sabor de verão!

by me. 7098

Bolo de maçã

Coisas simples...e boas!

Nem sei porque ultimamente só me apetece comer bolo com maça não dos massudos, mas com muita maça... coisas minhas ou gostos meus!

Por isso aqui deixo a receita base para um bolo fácil de fazer.

São precisos:
. 2 maças ou mais, conforme se queira mais ou menos maça sobre o bolo descascadas e cortadas em laminas . 1/2 de chávena de farinha bem medida . 3/4 chávena de açúcar . 1/2 chávena, mal medida de manteiga sem sal derretida . 2 ovos inteiros mais uma gema . uma pitada de sal . 1 colher de chá de fermento em pó . 1 colher de café de açúcar baunilhado ou um pouco de extracto de baunilha geleia ou doce diluído para pincelar o bolo

Aquece-se o forno a 180º.

Misturam-se numa tigela, a farinha, o fermento e o sal.

Noutra tigela, batem-se os ovos com a baunilha e o açúcar até obter uma massa clara e lisa. Acrescenta-se a manteiga derretida já arrefecida e envolve-se bem, criando uma massa homogénea.

Incorpora-se a mistura da farinha e mexe-se até que tudo esteja bem envolvido

Unta-se uma forma que não pegue com manteiga e farinha, despeja-se a massa. Colocam-se as fatias de maçã por cima e leva-se ao forno.

Demora cerca de 35 minutos assar, ou até que o bolo fique dourado e ou as maçãs estejam macias.

Depois do bolo cozido, aqueça um pouco de geleia ou doce com um pouco de água e pincela-se o bolo.

Eu gosto de comer quente...mesmo em dias quentes, e com uma bola de gelado de baunilha, uhmm funciona como o ouro sobre azul! ;)

by me. 6688

Casa de Santar . Branco Reserva 2007

Mais um vinho branco a reter...

Geralmente associa-se o gosto feminino em relação aos vinhos brancos, preferencialmente muito aromáticos, frutados e leves.

Ao contrário da regra eu gosto deles elaborados com corpo e boca persistente, em jeito de um bom tinto.
Este é um bom exemplo do que falo, porque o meu gosto é assim!

Diz o rótulo:
...Cor amarelo cítrico e aroma com toque de minerais que lhe conferem sofisticação. Na boca é cremoso, com notas tostadas, derivada da fermentação em barricas de carvalho francês que não se sobrepõem à fruta...

Acompanhou uns lombos de robalo passados por manteiga na frigideira e não se intimidou nada.

Tchim Tchimm
by me. 6221

Creme aveludado de Fava

Época de ir à Fava...

Nem toda a gente gosta... há quem diga que é comer de burro... bem pertenço aos pouco inteligentes nesse caso e não me ralo nada!!! :)

Para este creme de favas bem verdinho é preciso :

. 500gr de fava já descascada e cozida (ou congeladas quando não for época) . 1 cebola média . 100gr de alho frances . 1 dente de alho . 2 batatas . iogurte natural ou créme fraiche ou nata . azeite . sal . pimenta moída na hora
(presunto torrado/bacon grelhado em pedaçinhos/croutons ou pão torrado/coentros para empratar)

Descasca-se e pica-se a cebola em pedaço pequenos leva-se a lume brando juntamente com o alho francês cortado em rodelas e o dente de alho partido num pouco de azeite .
Deixa-se estufar com a tampa até ficarem amolecidos .

Acrescentam-se as batatas cortadas em cubos e deixa-se suar mais um pouco.

Deitam-se as favas sem pele (um luxo de gourmet, não obrigatório mas faz toda a diferença) tempera-se com sal. Deita-se água de cozer as favas de modo a ficar tudo submerso, deixa-se cozer bem, lentamente.

Tritura-se tudo com a varinha mágica ou multi-robot de cozinha até obter puré bem cremoso.

Rectifica-se o sal e acrescenta-se pimenta a gosto.

No prato de servir coloca-se o creme de fava, um pouco do iogurte ou as outras opções, um pouco de coentros picadinhos ee se quiserem pedaçinhos de bacon grelhados ou fatia de presunto torrado no forno, ou pequenos pedaçinhos de pão torrado.

Bom apetite!
by me. 5959

Creme de cenoura com genbibre e aipo

Continuando a tomar conta das calorias!!!

Por isso mesmo, além das muitas saladas que vou fazendo continuam as sopinhas para alternar já que também elas são libertadoras daquelas coisas que insistem em agarrar-se a nós... Nem sempre o Fairy é viável na limpeza das gorduras :D

Esta é mais uma sopa zá-trás-pás...good fast food!

. 4 cenouras médias . 1 talo de aipo sem folhas só parte branca . 1 cebola média . 1 colher de café de gengibre ralado . azeite, noz moscada, pimenta e sal a gosto

Lavar os ingredientes cortar em pedaços colocar tudo a cozer.

Passar a varinha mágica até obter creme espesso, temperar a gosto e servir.

Umas folhinhas de aipo e pimenta moída ou apenas noz moscada no prato e já está!

by me. 5333

Margaritas

Como me apetecia calor... o que me fui lembrar. É assim sabor a México, para mim :)

. Tequila 1/4 de chávena . Triple Sec ou Cointreau 1 a 2 colheres de sopa . sumo de limão ou lima 3 colheres de sopa . açúcar 2 colheres de sopa bem cheias . fatia ou tira de limão ou lima para colocar no copo . sal ou açúcar para colocar no topo do copo . cubos de gelo q.b.

Espalha-se o sal ou açúcar, como preferirem num prato, molha-se o rebordo do copo com o limão e passa-se pelo prato e reserva-se.

Para preparar a margarita, juntam-se os ingredientes todos num Shaker, pela seguinte ordem:
Shaker ou noutro recipiente fechado que dê para agitar, ao estilo do vodka martini James Bond - Shaken, not stirred.

1º sumo do limão e o açúcar até dissolver
2º acrescentar Cointreau e a Tequila e cubos de gelo agitar bem
3º Despejar no copo e acrescentar cubos de gelo

Tchim tchim, for hot summers days or nights :)

by me. 4582

Embrulho em folha de brick com miolo de Vieira e legumes salteados

Em jeito de crepe chinês decidi dar largas à imaginação e saiu-me uma entrada bem agradável, para quem goste destes crustáceos, um dos meus preferidos sabores de mar.

Não tirei fotografia infelizmente, mas vou tentar descrever o melhor possível.

Aqui as quantidades são dadas pelo número de embrulhinhos que se queiram preparar, eu fiz quatro entradas, que vão servir como referência.

Utilizei miolo de vieira congelado, pois os frescos não estão assim tão acessíveis, mas serviu para lhe dar o sabor de mar que pretendia.

Para esta entrada:
. f olhas de Brick 1 por dose . 3 chávenas de couve lombarda cortada em juliana fina . 1 cenoura grande ralada . 1/2 chávena de alho francês cortado ou picado muito fino . miolo de vieira . salsa picada . molho de soja . margarina q.b . azeite q.b. . 2 colheres de sopa de creme de aveia ou crème fraîche . sal . pimenta . pasta de Wasabi 1/2 colher de café

Descongelam-se as vieiras, aquece-se um pouco de margarina numa frigideira, acrescenta-se umas tirinhas de alho francês, cerca de uma colher de sopa para dar-lhe aroma e coram-se os crustáceos, o que não leva mais de 2 a 3 minutos de cada lado, o lume deve estar médio para que não esturriquem. Depois de corados reservam-se fora da frigideira para que não continuem a cozinhar.

Noutra frigideira aquece-se um pouco de azeite e uma colher de chá de margarina, deitam-se os legumes, a couve, a cenoura e o alho francês e deixa-se cozinhar até ficar amolecidos mas com alguma textura "al dente".

De seguida acrescentam-se os temperos a gosto, o sal, o molho de soja, pimenta, o creme de aveia, por último a salsa picada e a pasta Wasabi que pode ser diluída num pouco de creme de aveia ou crème fraîche ou até água.
Envolve-se tudo muito bem.

A montagem dos embrulhinhos; pincelam-se as folhas de Brick com um pouco de manteiga derretida, coloca-se um pouco dos legumes salteados, o miolo de vieira (1 por dose) fecham-se dobrando em quatro e colocando as dobras voltadas para baixo de maneira que não se abram quando estiverem no forno.

Estico uma folha de alumínio, coloco os embrulhos em cima, pincelo com um pouco de manteiga derretida e levo ao forno, podem usar tabuleiro, mas assim poupo uma louça suja.
Eu coloco assar no forno conforme as instruções de preparação indicadas na embalagem das folhas de brick, mas até ganhar algum tom de dourado é o suficiente e rápido não deixar sem vigia enquanto assa.

Servem-se os embrulhos quentes, com uma folha de alface ou um resto dos legumes salteados.

Há dias que se cria, há outros que se inventa e lá saem umas entradas que se comem!

by me. 4210

tarte de tomate assado



ingredientes:
massa:
200g farinha
1 ovo
25g banha
75g manteiga

recheio:
10 a 12 tomates [dos bons...]
4 pés de tomilho fresco
1 colher de sopa de mostarda dijon
3 colheres de sopa de natas
azeite, qb

rúcula e parmesão laminado para enfeitar

preparação:
num recipiente amasse a farinha com a manteiga, previamente amolecida, e com a banha até adquirir uma textura de migalhas de pão. incorpore o ovo batido e amasse até obter uma bola. continue a amassar numa superfície levemente enfarinhada até ficar homogénea e lisa. envolva em película aderente e coloque no frigorífico durante 30 minutos.
aqueça o forno a 190º.
estenda a massa e fore uma forma de tarte de fundo amovível. bata as natas com a mostarda e espalhe sobre a base da massa. corte o tomate às rodelas e disponha-os na forma em forma de leque. tempere com sal e pimenta e polvilhe com o tomilho.
leve ao forno durante 40 minutos [+ -]
coloque numa travessa redonda, grande, e disponha a rúcula e as lascas de parmesão em volta da tarte. salpique com azeite e com vinagre balsâmico.
enjoy...

Gelado caseiro

Mais um pedido infantil, que tira as receitas antigas do baú.

Provavelmente a receita original já foi modificada pelo tempo, mas na década de 90 lembro-me de comer 'esta' sobremesa em vários jantares em casa de amigos.

Uma sobremesa 'fast food 'como costumo dizer, sem contar com o tempo de congelar antes de poder ser servida, mas cá por casa por vezes basta a mousse meia gelada... muito gulosos, além de mim claro :)

A receita desta imagem foi feita com:

. 150 gr de bolachas com cobertura de chocolate (usei supremas de chocolate Pingo Doce) . 1/2 lata de leite condensado magro . 3 dl de nata batida . 1 tirinha de tablete de chocolate amargo derretido com um pouco de leite

Cortam-se as bolachas em laminas ou pedaços pequenos, reservam-se.

Batem-se as natas até ficarem com alguma consistência. Junta-se o leite condensado envolvendo bem, de seguida acrescentam-se as bolachas partidas e por último, o chocolate derretido já arrefecido, sem grande preocupação de ficar bem misturado, eu gosto até de marmorear a mistura, por exemplo.

Coloca-se numa taça, forma de bolo inglês forrada com película aderente ou ûma caixa plástica e leva-se ao congelador.

Retira-se um pouco antes de servir, para facilitar a vida e conseguir fazer bolas de gelado, ou cortam-se em fatias, como preferirem.

Eu servi com morangos laminados, um pouco da bolacha de chocolate e chocolate ralado.

Uma sobremesa fresca, muito fácil e já agora revigorante!

by me. 3349

Festa do Alvarinho e do Fumeiro

Para quem andar por essas bandas, a Festa começa dia 30 de Abril, está quase.
Uma coisa é garantida os fumeiros são excelentes e o Alvarinho acompanha muito bem, é possível degustar outros magníficos produtos da região, como a broa, o mel, os enchidos, etc
Para além deste cariz gastronómico, com as respectivas jornadas gastronómicas, as tasquinhas, o concurso para a eleição dos melhores produtos locais, desenvolvem-se outras actividades em paralelo como o BTT, Rafting, Cart Cross, Atletismo-milha urbana.

(ver programa aqui)
by me. 3226

Flores no prato

Primavera, as flores... e nesta cozinha também!

Já algum tempo que se vêem muitas vezes flores a completarem pratos, muito usual na chamada comjda gourmet.
Também já é possível adquirir conjuntos de flores próprias para este efeito, vendem-se em pequenas paletes.

Assim para quem quiser saber, deixo uma pequena lista para utilizar flores na cozinha.

Herbário:


Rosa
De sabor doce, é usada para aromatizar sobremesas ou ornamentar saladas

Calêndula
Ligeiramente amarga, pode ser usada em vez de açafrão

Borragem
Diz-se que sabe a pepino, mas há quem encontre reminiscências de frutos secos

Alteia
É usada em saladas

Crisântemo
As suas pétalas são ligeiramente apimentadas

Cosmo
Bom para usar em saladas

Cravo
Tem um sabor semelhante ao cravinho

Tagete Lucida
Sabe fortemente a estragão, daí também ser chamada estragão do México

Chaga
Usa-se em saladas, de sabor apimentado lembra o agrião

Amor-perfeito
Adocicado, tanto fica bem em sobremesas como em saladas

Madressilva
Sabor doce, a mel

Para florir qualquer sabor e até complementá-lo, como se de uma especiaria se tratasse.

by me.

Serralves, a copo e a prato

JANTARES VÍNICOS em Serralves a partir de 29 de Abril.

Jantar SYMINGTON, dia 29, conta com Prova de Vinhos e um Menú Especial, com um enólogo convidado como é habitual nestes encontros.

40€ jantar por pessoa vinho incluído, parece-me a mim que não vão sobrar lugares. 'Prós' amigos do museu 10% de desconto no menu.

Reservas: 22 6170355 ou restaurante.serralves@qrm.pt

Doce Pijama

Pois a fechar a Páscoa...os doces que foram à mesa:

. Cheesecake de frutos silvestres aqui*

. Cheesecake de Limão, base idêntica à anterior, a cobertura o Lemon curd aqui*

. Bolo de amêndoa com cobertura de chantilly e Praliné aqui*

. Mousse de chocolate negro com crocante de chocolate e nata batida

As três primeiras estão aqui, já fazem parte das receitas deste blog, só me falta publicar a mousse negra de chocolate amargo.

Como alguém me disse; Ui tantas calorias aos pulos!

by me.

Easter feast

Em modo doce/salgado, uma entrada fácil de fazer...

Foi o primeiro post que fiz neste Blog, e que lhe chamei "Pétalas de Filó" , isto foi só no outro dia... Dezembro de 2008 (ver aqui).

A variante da receita com esta fotografia, é que em vez de massa Filó usei folhas de massa de Brick, existem as duas à venda e o resultado é igualmente bom.

Simplesmente são precisas:

. folhas de Brick (uma por pessoa) pinceladas com um pouco de manteiga derretida.

Recheadas com:

. queijo de cabra ralado (utilizei um Palhais em rolo) . mel . nozes cortadas e raladas
Tudo isto colocado a gosto, acentuando o doce ou o salgado, conforme se preferir.

Levam-se as folhas de Brick já recheadas ao forno médio 180º/ 200º, até a massa estar crocante, dentro de uma base que lhe sustentam a forma, como por exemplo taças de grés ou folha de alumínio o que houver que ajude a enformar.

Retiram-se do forno deixa-se arrefecer um pouco, desenformam-se cuidadosamente e colocam-se no prato de servir.

Servem-se quentes, e se tiveram de esperar até serem servidas, basta colocar um pouco no microondas para reaquecerem, sem grandes preocupações, o que permite preparar com alguma antecedência.

Eu costumo pingar a massa com mel antes de levar ao forno, daí as linhas em tons acastanhado na massa.
No prato, ralo noz por cima e neste caso coloquei alface roxa e verde do tipo folha de carvalho e um pouco de alecrim.

E assim foi a entrada na Páscoa.

by me.

Tostas de amêndoa

Podiam ser bolachas, mas chamei-as tostas, servem para doces ou salgados, ficam tão bem com um gelado, com um queijo ou apenas para se comerem sozinhas, são crocantes e muito saborosas, mais uma escolha para usar as amêndoas.

Ingredientes:
. 115g de manteiga, com ou sem sal, em cubos . 300g de açúcar mascavado . 1/2 colher de chá de canela em pó . 80ml de água . 325g de farinha . 1/4 colher de chá de bicarbonato de sódio . 85g de miolo de amêndoas sem pele picadas

Derrete-se a manteiga com o açúcar, a água e a canela numa panela pequena em lume muito baixo sem deixar ferver, apenas até que o açúcar esteja misturada.

Retira-se do lume acrescentam-se, a farinha, o bicabornato de sódio e as amêndoas de modo a estarem bem envolvidos, deixa-se arrefecer.

Forra-se uma forma de bolo inglês com película transparente e coloca-se a massa dentro, tapa-se com película e pressionando-a bem para que não fiquem bolhas de ar, leva-se ao frio até ficar uma massa rígida.

Retira-se a massa da forma, e com uma faca bem afiada cortam-se fatias o mais fino possível em rectângulos, quanto mais fino forem mais estaladiças e delicadas ficam depois de assadas.
Aquece-se o forno baixo, 160º e levam-se assar as fatias de massa cortada sobre folha de papel vegetal, esta forma de as levar ao forno torna-as ainda mais crocantes, devem estar afastadas um pouco umas das outras.

Devem cozer até adquirir um tom acastanhado, o que pode demorar entre 10 a 15 minutos ou mais depende da espessura do corte da massa.

Devem ser viradas a meio de modo que dourem de ambos os lados.

E já está, umas tostas "melba" de amêndoa!
Com doce ou salgado são um sucesso.

by me.

Delicia de laranja

Mais um bolo fim de semana, dos simples, um revivalismo!

E porque a minha amiga S. anda dedicada adoçar a família, o que ela se lembrou de fazer hoje, este bolo de laranja muito semelhante ao que eu fazia ainda na minha pré-adolescência... há meia dúzias de dias a bem dizer!
Se eu fazia, meio mundo deve tê-lo feito, mas mesmo assim deixo-o para que conste aqui em acta oficial e virtual.

Para a delicia:
. 150 gr de manteiga . 150 gr de açúcar . 150 gr de farinha já com fermento . 3 ovos . 3+1 laranja

Bate-se o açúcar com a manteiga.
Junta-se o sumo e a raspa de 2 laranjas e mexe-se.
Acrescentam-se os ovos inteiros um a um, por último a farinha.

Verte-se numa forma untada, leva-se ao forno médio/brando, a 210º/180 durante 25min.

Quando o bolo estiver frio, rega-se com uma calda de açúcar com o sumo da outra laranja.


Calda açúcar com laranja:
. açúcar + água Q.B. . sumo de 1 laranja.
Faz-se um ponto leve de açúcar, deixa-se arrefecer um pouco e acrescenta-se o sumo da laranja.

Um bolo simples, à moda antiga, ao jeito e sabor dos lanche em casa das avós... Foi assim servido, ouro da laranja sobre o azul do prato :)

from S.
by me.

Bolo de cenoura ralada

Um bolinho Zá-Trás-Pás, e já está feito.

Não há tempo para cozinhar... para este não é desculpa! Tão simples que até custa escrever :)
Um perfeito bolo caseiro, bem sei que é mais barato ir à padaria de qualquer supermercado e trazer qualquer coisa, mas nesse gesto perde-se o hábito de passar receitas e o gosto por cozinhar em casa, assim como o prazer de se poder comer algo que se fez com a própria mão.
Uma forma de partilha que deve passar o mais possível ás gerações futuras.

Este cenourinha, leva:

. 1 a 2 chávenas de cenoura ralada (se o quiserem com mais cenoura ponham as 2 chávenas) . 1 chávena de óleo . 4 ovos inteiros . 2 chávenas de açúcar . 2 chávenas de farinha . açúcar em pó para polvilhar q.b.

Agora preparação, Multi-Robot de cozinha ou liquidificador de copo grande, tudo lá para dentro até obter um creme homogéneo.

Verter numa forma de bolo, untada e polvilhada de farinha.

Levar ao forno já aquecido a 210 º, durante 35-40 minutos.

Deixar arrefecer e polvilhar com açúcar em pó a gosto.


Uma receita com direito a fatia, que me foi dada pela minha amiga S. e que apesar dos três filhos, morar fora da cidade, não lhe sobrando tempos extras, ainda assim fica-lhe sempre a boa vontade para cozinhar para a pequenada. A true big mom :)
From S.
by me.

Bolo de amêndoa e amêndoas

Mais uma forma de comer as amêndoas um bolo muito simples de fazer e com sucesso garantido...

E o que eu gosto de amêndoas... será que elas gostam de mim? Isso agora não interessa nada.

Lembrei-me ainda da altura que se bebiam amêndoas amargas, hábitos de uma época, nem sei se conseguiria beber uma agora, mesmo que fresquinha, como era o costume há uns anos, melhor nem dizer quantos senão assusto-me!

Voltando ao bolo, uma das suas vantagens é o de se poder fazer rapidamente e deixar a cozer enquanto se desfruta um jantar.
O ambiente lá se vai perfumando aguçando o gosto e a curiosidade para a prova, e assim em quanto se termina o prato principal do jantar entre convivas, voilá, de repente uma sobremesa fantástica acabadissima de fazer e ainda quente.

Para este bolo os ingredientes são:
massa:
. 3/4 chávena de manteiga . 1+1/2 chávena de açúcar . 2 ovos inteiros . Sal 1/2 colher de café . 1 pitada de baunilha em pó . 1 +1/2 colher de chá de extracto de amêndoa . 1 +1/2 chávena de farinha

cobertura:
. 1 colher de sopa de açúcar em pó ou refinado . 3/4 chávena de amêndoas cortadas em laminas com pele

Pré-aquece-se o forno a 180º graus e entretanto prepara-se a massa.

Numa tigela e mistura-se o açúcar com a manteiga já derretida, envolvem-se bem.
De seguida adicionam-se os ovos inteiros um a um e bate-se tudo, de modo a ficar uma massa bem cremosa e homogénea.
Acrescentam-se os restantes ingredientes na massa, o sal, as baunilhas, a farinha, misturando-as bem.

Unta-se uma forma redonda de aro amovível, porque o bolo não se pode virar para desenformar.
Depois de colocar a massa do bolo na forma, espalham-se as amêndoas laminadas por e com pele por cima e polvilha-se com o açúcar em pó ou branco refinado, como preferirem ou o que esteja por perto.

Leva tudo ao forno a assar, cerca de 40 minutos.
Deixa-se arrefecer um pouco, retira-se o aro.

Serve-se quente, ou frio.
Numa versão maxi...diria, com uma generosa bola de gelado de baunilha e uma folhinha de hortelã.
Já que se trata de um bolo denso que inclusive, não cresce muito.

Uma outra sugestão, feita com amêndoas, as eternas rainhas da Páscoa!

by me.

Olho no Pé


Uma sugestão um Douro Branco, Grande Reserva 2008, com nome engraçado e estranho, mas a fixar.
Um vinho bem encorpado, com aroma magnifico, uma boca persistente, feito com a predominância das castas Viosinho, Rabigato e Gouveio, isto à parte do seu elevado grau alcoólico diria típico de um tinto, 14,5% o seu preço no mercado ronda os 8 euros.

Serviu para acompanhar umas lulas com alho francês e muito bem, mas suporta qualquer prato.

by me.

Feira do Queijo da Serra

Denominada "Feira do Queijo de Oliveira do Hospital", com o tema este ano "Excelência na origem" , vai começar no próximo sábado dia 20 de Março.
Para quem possa ir, além do queijo, outros produtos da região estarão ao dispor nesta feira, pode-se provar antes de comprar o que é sempre muito apelativo.

Por mero acaso um local que me é familiar, fez parte da minha infância, onde a minha bisavó Violante fazia, como dizia eu na altura, queijos mal cheirosos...
Mudam-se os tempos mudam-se as vontades e reeduca-se o gosto, assim se me o puserem à frente, já não digo nada mal do seu aroma...e fica tão bem com um copo de vinho tinto Douro ou Dão bem encorpado.
by me.

Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin